terça-feira, 17 de janeiro de 2017

NOTÍCIAS DE LÍMBIA: MASSA PODRE



Ele é o culpado. Culpado em tolher minha vida. Culpado pela castração à qual fui submetida. Culpado por esse meu rosto amargo, pois que a amargura se estampa em minha face.
Ele precisa ser culpado. Não suportaria se ele não o fosse.
Há de se acreditar nisso, mesmo que inventado...

Fui criada assim, deste jeito, sem jeito para nada além da cozinha.

Não suportaria descobrir-me invejosa. Não suportaria ver a doença crescendo junto com minha infância de infante castrada.
Não suportaria enxergar-me certinha em excesso.
Não suportaria a dor de minha falta de movimento, já que não sei movimentar-me. Ele sabe movimentar-se. Tenho ódio de movimento.
Não suportaria olhar-me, hoje, no espelho, e este objeto sombrio me revelar a responsabilidade da amargura que revela meu rosto. Estas rugas insuportáveis, este corpo insuportável. A amargura é minha religião secreta, minha hóstia de todo dia.

E o acuso todo santo dia acusatório. Tem de ser assim que assim me escondo de mim mesma.


SIRVO AMARGA
TORTA
O JANTAR


*DADOS CARTOGRÁFICOS: Límbia é Real sem existir em lugar algum. Faz-se justiça ao cartógrafo Fabio Herrmann que a define: “Isto é Límbia, terra da ficção verdadeira. Límbia não foi inventada. É a própria invenção.” HERRMANN, F. (2002) A Infância de Adão e Outras Ficções Freudianas. Casa do Psicólogo: São Paulo (p.34).