sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

NOTÍCIAS DE LÍMBIA: FLOR DE LÓTUS



"Nem todo mundo consegue fingir que existe."
(SIMONE DE BEAUVOIR)


Foi em um desses momentos fugazes, em que a vigília nos desperta do sono...
Sob a coberta xadrez, o corpo quente resistiu a por-se em movimento. Percebia apenas sua existência, dentro do quarto frio de paredes recheadas de surrealidade.
Pensou em nunca mais levantar, ficar ali, debaixo da coberta, com o corpo aquecido.
No esfregar de pernas, sentiu aquela velha estranha sensação da violência do  mundo dos homens pesar sobre os ombros.
Ali, sob a coberta xadrez, mais uma vez sentiu-se violentada.
Desrespeito, imposição, acusação, obrigação... A exigência de ter de ser alguém, ter de se entregar ao outro, ficar feliz por levar uma vida feliz. Nesses momentos, a aparência de ser era invadida pelo desejo de ser ninguém.
Sentiu que tinha cada vez menos cabelos, amarrotada em seu particular rosto mergulhado no travesseiro. Percebia os furúnculos parindo mais furúnculos sobre a pele.
De sobressalto, se viu já na rua, no cotidiano empurra-empurra do encontrão com outras mortais criaturas humanas.


*DADOS CARTOGRÁFICOS: Límbia é Real sem existir em lugar algum. Faz-se justiça ao cartógrafo Fabio Herrmann que a define: “Isto é Límbia, terra da ficção verdadeira. Límbia não foi inventada. É a própria invenção.” HERRMANN, F. (2002) A Infância de Adão e Outras Ficções Freudianas. Casa do Psicólogo: São Paulo (p.34).