sábado, 16 de janeiro de 2016

COMBINADO





Sentiu-se assim envergonhada. Tinha revirado a casa inteira à procura da pequena medalha dourada, e agora, lá estava ela, depositada caprichosamente dentro da caixa onde guardava os rolinhos de algodão, utilizados para remover a maquiagem.
Agora era tarde... Seu irmão já havia retorna à Amsterdã!!!

O irmão, um jovem artista plástico, metido a contemporâneo escritor, nunca iria compreender o valor daquela peça dourada.
Faz dez dias que tinha ganho, de um tio muito popular na família, uma medalha pequena e dourada, para levar como recordação da estada aqui. Mas ele não daria valor. Nunca deu valor a essas coisas.

A medalha deveria ter pertencido a algum antepassado importante, um pequeno objeto redondo de puro ouro, brilhoso e envolvente, bem charmoso... Ela ficava a fantasiar sobre a história da medalha que, apesar de pequena, deveria conter valor inestimável...

O irmão pediu que ela a guardasse...
Ele era bem mais jovem, muito considerado pela família, apesar das bugigangas que chamava de obra de arte, e do livro que nunca terminava de escrever...
No fundo, sentia ciúme...
Solteira, era mais uma candidata a ser "senhora"... Nenhuma aventura para entreter a família que, provavelmente, a achava chata demais.

No dia do retorno à Amsterdã, não conseguiu encontrar a medalha... Por mais que revirasse tudo, teve que se desculpar e desculpar e desculpar com o irmão que, sorridente (o que a irritava), parecia não demonstrar preocupação... Ele não tinha ideia do valor do objeto.

Enfim... Agora perdia-se em seus pensamentos... Ficar com a medalha, afinal, não traria prejuízo ao irmão. Ele não tinha ideia do valor... Um pequeno objeto redondo que deveria ser valioso, valioso.
Ela não compreendia bem as inscrições na medalha, que deveria ser muito valiosa... O passado da família estava inscrito e representado ali.

Tempos atrás, estava o tio popular a passear pelas barraquinhas da Praça Benedito Calixto, quando, de repente, achou interessante algumas medalhinhas feitas em série, que representavam não sei o quê... Comprou algumas...