sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

NOTÍCIAS DE LÍMBIA: O VERBO E A COR



No princípio foi o Ato... Logo após era Verbo.

O Verbo que regra, representante supremo da Lei. Verbo disparatado, que falha, que falta.
Cheio de lacunas, o Verbo tenta e tenta e tenta... Acaba, por vezes, perdendo-se no Vazio. Confusão que acaba por não representar nada, apenas redundâncias.

A Cor por vezes expressa.
A cor do cabelo vermelho representa radiante gingado da câmera fotográfica.
O andar pode ter cor apagada de foto velha, bem como pode ter cor vermelho-sedução.
A palavra tem cor. A história tem cor de mãe e pai.

O Verbo pode ser Cor... Deve haver Cor para além desta sala, lugar do Verbo.
Há Verbo na vida especulada... Há Cor na vida vivida, Vida.

Que a força persuasiva do que não se exprime é implosiva, devastadora, auto-destruidora. Que expressar é começar a se libertar.” (FRIDA KHALO)

*DADOS CARTOGRÁFICOS: Límbia é Real sem existir em lugar algum. Faz-se justiça ao cartógrafo Fabio Herrmann que a define: “Isto é Límbia, terra da ficção verdadeira. Límbia não foi inventada. É a própria invenção.” HERRMANN, F. (2002) A Infância de Adão e Outras Ficções Freudianas. Casa do Psicólogo: São Paulo (p.34)